segunda-feira, 11 de dezembro de 2017

Biografia de Sandro Henrique Souza

Escritor romancista, contista e dramaturgo. Dono de um estilo filosófico, místico, espiritualista e surrealista. Começou a escrever influenciado principalmente pelos escritos de Franz Kafka e Knut Hamsun. Sua literatura é marcada por profundidade, versatilidade e reflexão. Seus livros de ficção abrangem ainda temas como a metafísica, o existencialismo, a sociologia e a literatura fantástica.

Obras Literárias de Sandro Henrique Souza

•“ Fragmentos de Luz" (Ficção/romance);
•“Telas, cores e espaços” (Ficção/prosa);
•“Estigma de um besouro raro” (Ficção/romance);
•"O sertão, um ser e a solidão” (Ficção/prosa);
•“Sala fechada” (Ficção/contos);
•“Espelhos falsos, reflexos de ilusões” (Ficção/romance);
•“Cinzeiro” (obra em verso);
 •“O último brinde” (Dramaturgia/peça teatral);
•“Quadros, molduras e um atelier” (Ficção/prosa);
•“Cama de páginas” (Ficção/contos);
 “Coletânea de Contos” (Ficção/Contos).

Todos os livros registrados pelo autor. Proibida a reprodução ou venda em sites sem a expressa autorização do autor. Lei de Direitos Autorais. Código Penal Art. 184.

Minha fanpage no facebook:
https://www.facebook.com/pages/Sandro-Henrique-Souza/162076523888477


O sentido da vida não está em possuir coisas materiais, tecnológicas, superficiais e efêmeras. Estamos neste mundo em processo de aprendizado e evolução espiritual. É imprescindível desenvolver valores humanos e espirituais, bom senso, conhecimento interior, gentileza, delicadeza, generosidade, educação, honestidade, compaixão, altruísmo. Tentar combater os sentimentos negativos, como a inveja, o ódio, e não prejudicar os outros. Todas as coisas no universo estão interligadas. Todas as ações e sentimentos retornam de alguma forma para quem os enviou. Pois a vida é energia, nossos seres são energéticos e os pensamentos emitem vibrações energéticas. É essencial o respeito ao próximo, respeitar as diferenças, e entender que cada um está num nível desigual de evolução espiritual. Todos nós erramos, mas é importante ter a consciência para acertar mais do que errar. Com boa consciência, ações benéficas e bons sentimentos, poderemos construir uma realidade melhor

LIVRO FRAGMENTOS DE LUZ

Fragmentos de Luz, com nova capa e edição, agora pode ser encontrado também no site da Ag Book:



Sinopse
Fragmentos de Luz é um romance com abordagens místicas e espiritualistas, com mensagens de amor e superação. O autor utiliza ainda no enredo, o surrealismo e a fantasia.

Olá amigos e amigas! Confiram a minha entrevista concedida à jornalista Shirley Cavalcante para a Revista Literária da Lusofonia. Leiam e prestigiem! Beijos e abraços!





Romance Fragmentos de Luz – editora Literarte - Rio de Janeiro, 1ª edição 2013.

Romance Fragmentos de Luz – editora Literarte - Rio de Janeiro, 1ª edição 2013. 

Em Fragmentos de Luz o personagem principal retorna a uma existência passada para recuperar e desvendar os mistérios dos fragmentos de textos escritos por eminentes autores ao longo dos séculos. Mas, para encontrá-los, ele precisa passar por diversas aventuras percorrendo vários países do mundo e lutando contra as astúcias e feitiços de um colecionador de livros, que deseja impedir que ele descubra os segredos dos manuscritos. Misticismo, surrealismo e fantasia estão presentes no romance.

Book Trailer de Fragmentos de Luz

Entrevista para a TV Gazeta de Alagoas sobre o livro Fragmentos de Luz 

Cama de Páginas

Cama de Páginas
(Contos)

escritor Sandro Henrique Souza

Link de Vendas:
https://www.agbook.com.br/book/246330--Cama_de_Paginas


quinta-feira, 30 de novembro de 2017

Coletânea de Contos

Coletânea de Contos
Escritor Sandro Henrique Souza
LINK DE VENDAS:
Sinopse:
“Neste livro Sandro Henrique Souza selecionou diversos contos escritos ao longo de quase vinte anos de sua carreira literária. São contos com variadas abordagens”.

terça-feira, 14 de julho de 2015

Livro O Sertão, Um Ser e a Solidão

A primeira edição saiu pela editora CBJE, do Rio de Janeiro

“O sertão, um ser e a solidão é uma belíssima prosa existencialista, repleta de belos aforismos criados por Sandro Henrique Souza. Com passagens reflexivas e profundas, o autor vai percorrendo o sertão e o sentido do ser contido nas paisagens secas e solitárias. É uma leitura na qual se deve atentar para a profundidade das frases e o jogo de palavras.”

Por que caminhar pelas exterioridades deste sertão se dentro de mim há caminhos que desconheço e outros que são inóspitos?

Sandro Henrique Souza
(Do livro: O sertão, um ser e a solidão.)


Quando o sol se puser e anoitecer o meu corpo no sertão, ainda assim acredito que o amanhã existirá para torná-lo claro. Então verei a luz, mesmo que não exista mais sol para queimar as minhas retinas e nem pedras para apedrejar os meus sentimentos.

(Sandro Henrique Souza – Do livro: O sertão, um Ser e a Solidão).

Livro Telas, Cores e Espaços

A primeira edição saiu pela editora Biblioteca 24Horas, de São Paulo
Telas, cores e espaços é uma obra em prosa e verso com abordagens filosóficas, existencialista, espiritualista e aforismos criados por Sandro Henrique Souza. As telas, as cores e os espaços ganham tons de palavras reflexivas por meio da originalidade e profundidade do autor.

Abro as portas do meu ateliê e deparo-me com as telas e as cores, no meu espaço. Percorro por ele, e imagino o que quero criar. Escolho uma tela, coloco-a frente a mim. Preparo as tintas retidas em tubos. Mas suas cores estão contidas em minha vista, na ilusão de meu ser.
Sandro Henrique Souza – trecho do livro Telas, Cores e Espaços.

Há muito que conhecer, e nem mesmo conheci a cor de
minha face. Que dirá de minha alma.

(Sandro Henrique Souza - do livro Telas, Cores e Espaços).

Se as emoções se confundem como numa abstração, é preciso ter discernimento para compreender cada mancha.

Sandro Henrique Souza
 - do livro Telas, Cores e Espaços.
 
Se as emoções se confundem como numa abstração, é preciso ter discernimento para compreender cada mancha.

Sandro Henrique Souza
 - do livro Telas, Cores e Espaços.

E mesmo que não haja tempo, imaginarei que ele existe para dar sentido às dimensões que ainda não conheço.
(Sandro Henrique Souza – do livro Telas, Cores e Espaços.)

Cada cor ludibria-me a percepção. Talvez se minha vista fosse neutra percebê-la-ia melhor.
Sandro Henrique Souza – do livro Telas, Cores e Espaços.

Se as portas estiverem trancadas, quero desenhar chaves para abrir minhas percepções e pintar o que não vi antes, quando a fecharam.
Sandro Henrique Souza – do livro Telas, Cores e Espaços.

 Editora Biblioteca 24horas: http://www.biblioteca24x7.com.br/                    

Livro Estigma de Um Besouro Raro


Em “Estigma de um besouro raro” a originalidade de Sandro Henrique Souza destaca-se por meio da filosofia, sociologia e metafísica. O belíssimo romance tem um conteúdo rico de termos e reflexões. As frases expressam significados fortes. O autor utiliza uma linguagem bela e poética. É uma leitura na qual se deve atentar para cada palavra, frase e pensamento. As frases estão enriquecidas de abordagens filosóficas e sociológicas, e o leitor perceberá a multiplicidade de mensagens e interpretações que elas contêm. O livro fala ainda de liberdade, natureza, existencialismo e o ser social moldado pelas regras do poder dominante.


Esta foi a primeira edição de Estigma de Um Besouro Raro, pela editora CBJE, do Rio de Janeiro.
ANTOLOGIA INTERNACIONAL PONTE DOS SONHOS - FRANKFURT - ALEMANHA, 2010

Reportagens sobre Sandro Henrique Souza

Com vasta obra, Sandro Henrique Souza já foi indicado aos Prêmios "Personalidades Notáveis", e Trofeu  “Prêmio de Literatura – Literarte 2012”, como um dos destaques da literatura no ano anterior.


Reportagens:





Entrevista com Sandro Henrique Souza à TV Gazeta de Alagoas, afiliada da Rede Globo de Televisão: 

Links e Livros de Sandro Henrique Souza





















Amigos e amigas, alguns livros meus agora podem ser encontrados também no site da AG BOOK nos formatos impressos e e-books:




Textos

Mundo Ilusão

Desdobro-me para as dimensões que existem além do meu invólucro. Viajando pelos espaços galácticos. Percorro os abismos de sombras e perco-me neles, mas lampejos cintilantes acendem em minha consciência, fazendo-a reluzir por instantes, para encontrar-me em serenos jardins resplandecentes. Passo pelos portais do desconhecido. Abro portas e percorro pelos caminhos desvanecidos pelo meu andar. Subo em escadarias evolutivas e passeio pela frente das fachadas de paraísos fechados, que ainda não posso habitá-los nem visitá-los. Acordo em degraus ainda longe de percorrê-los e alcançá-los. Sonhos, encantos, magias e seres Elementais, com harpas e flautas banhadas de ouro, tocam uma bela canção, e puxam-me para a alquimia do dia, pois, fios prateados, ainda me entrelaçam ao Mundo Ilusão.

Sandro Henrique Souza
Copyright © 2013
Texto protegido por direitos autorais.

Voo Transcendental

Num voo transcendental e sem asas, atravesso um portal e volito pelo espaço descomunal do incógnito infinito. Em instantes de liberdade, fora dos densos recintos, vejo o mundo por ângulos distintos e os seres sem formas na projeção do meu voo livre. Mas minha mente ainda projeta sombras de arvores das florestas dos meus sonhos. Meu viajar tem tempo limitado, mas lá não há tempo nem paredes que me limitam de passar. Pois nessas extensões colossais as leis são dessemelhantes e não há limites para o direito de amar. O voo quer terminar, mesmo que não seja um voo alado, para me fazer voltar ao envoltório fechado. Mas, não quero despertar, pois meu inconsciente ainda se faz presente e tampouco quer se encarcerar. E de onde estou ainda vejo o mundo e a existência por semiplanos diferentes. Será que não tenho o direito de vê-los como os vejo...?

Sandro Henrique Souza        
Copyright © 2013
Texto protegido por direitos autorais.


A Arte

A beleza é um dos atributos divinos. Deus pôs nos seres e nas coisas esse encanto misterioso que nos atrai, nos seduz, nos cativa e enche a alma de admiração, às vezes de entusiasmo.
A arte é a busca, o estudo, a manifestação dessa beleza eterna da qual percebemos, aqui na Terra, apenas um reflexo. Para contemplá-la em todo o seu esplendor, em todo o seu poder, é preciso subir de grau em grau em direção à fonte de onde ela emana, e isso é uma tarefa difícil para a maioria entre nós. Pelo menos, podemos conhecê-la pelo espetáculo que o Universo oferece aos nossos sentidos e também pelas obras que ela inspira aos homens de gênio.
O Espiritismo na Arte - Léon Denis

 

Por Um Mundo Sem Bullying

Bullying é um termo utilizado para descrever atos de violência física ou psicológica, intencionais e repetidos, praticados por um indivíduo (do inglês bully, "tiranete" ou "valentão") ou grupo de indivíduos com o objetivo de intimidar ou agredir outro indivíduo (ou grupo de indivíduos). Os indivíduos que comentem Bullying utilizam-se de ameaças, assédios, intimidações, provocações, deboches, difamações, apelidos, judiações e implicações, além de diversos outros termos utilizado pelas próprias pessoas em diversas regiões. O Bullying é praticado em diversos ambientes sociais, como faculdades, universidades, colégios, trabalhos, vizinhança, etc. Os motivos que fazem com que vários indivíduos cometam bullying, podem ser a inveja, o ódio, sentimento de inferioridade, fazendo-os utilizarem de violência para compensar as suas frustrações.
Atitudes que caracterizam o Bullying:
·   Insultar a vítima;
·   Provocar a vítima, colocar apelidos;
Inventar mentiras sobre a vítima;
·   Difamar a vítima;
·   Debochar;
·   Ridicularizar a vítima:
·   Usar de diversas atitudes perversas para humilhar a vítima;
·   Colocar a vítima em situações constrangedoras;
·   Acusar sistematicamente a vítima de não servir para nada;
·   Ataques físicos repetidos contra uma pessoa, seja contra o corpo dela ou propriedade;
·    Interferir com a propriedade pessoal de uma pessoa, livros ou material escolar, roupas, etc, danificando-os;
·   Espalhar rumores negativos sobre a vítima;
·   Depreciar a vítima sem qualquer motivo;
·  Fazer com que a vítima faça o que ela não quer, ameaçando-a para seguir as ordens;
·  Colocar a vítima em situação problemática com alguém (geralmente, uma autoridade), ou conseguir uma ação disciplinar contra a vítima, por algo que ela não cometeu ou que foi exagerado pelo bully;
·  Fazer comentários depreciativos sobre a família de uma pessoa (particularmente a mãe), sobre o local de moradia de alguém, aparência pessoal, orientação sexual, religião, etnia, nível de renda, nacionalidade ou qualquer outra inferioridade depreendida da qual o bully tenha tomado ciência;
·   Usar as tecnologias de informação para praticar o cyberbullying (criar páginas falsas, comunidades ou perfis sobre a vítima em sites de relacionamento com publicação de fotos etc); chantagem, provocações;
·   Usar expressões ameaçadoras;
·   Usar de sarcasmo;
·   Fazer que a vítima passe vergonha na frente de várias pessoas.

A prática do bullying além de ser um ato de desrespeito ao próximo pode causar traumas nas vítimas.

Bullying é crime
O crime consiste em intimidar, constranger, ofender, castigar, submeter, ridicularizar ou expor alguém, entre pares, a sofrimento físico ou moral, de forma reiterada.
A pena para as práticas de bullying pode ser até de 1 a 5 anos reclusão.


Mensagens de Espiritualidade



"Que a beleza do que você ama seja o que você faz."    Rumi


“Sem amor, nem uma gota sequer se transformaria em pérola.”       Rumi

Não ao Aborto


As complicações clínicas advindas dos abortos provocados na esfera ginecológica são inúmeras e podem, inclusive, determinar o êxito letal da mulher. No campo psicológico, são comuns os processos depressivos subseqüentes que acometem as mulheres que se submeteram à eliminação da gestação indesejada. A sensação de vazio interior, mesclada com um sentimento de culpa consciente e inconsciente, freqüentemente, determina uma acentuada baixa de vibração na psicosfera feminina. Paralelamente, a ação do magnetismo mental do espírito expulso passará gradativamente a exacerbar a situação depressiva materna. Como já estudamos, em muitos casos, aquele que reencarnaria como seu rebento estava sendo encaminhado para um processo de reconciliação afetiva. O véu do esquecimento do passado é que possibilitaria a reaproximação de ambos sob o mesmo teto. Com o aborto provocado, à medida que o espírito recobra a consciência, passa, nesses casos, a emitir vibrações que, pelo desagrado profundo, agirão de forma nociva na psicosfera materna. Em que pese o esforço protetor exercido pelos mentores amigos, em muitas circunstâncias se estabelece o vínculo simbiótico, mergulhando a mãe nos tristes escaninhos da psicopatologia. Ao desencarnar, de volta ao plano espiritual, a mãe apresentará em diversos níveis, conforme o seu grau de responsabilidade, distonias energéticas que se farão representar por massas fluídicas escuras que comporão a estrutura de seu psicossoma (perispírito). Apesar de serem atendidas com os recursos e as técnicas terapêuticas existentes no mundo astral, a chaga energética, em muitos casos, se mantém, em função da gravidade e agravantes existentes. As lesões na textura íntima do psicossoma a que nos referimos, muitas vezes, só podem ser eliminadas numa próxima encarnação de características expiatórias. Expiação, longe de ter uma conotação punitiva, pois esse critério não existe na planificação superior, é um método de eliminação das desarmonias mais profundas para a periferia do novo corpo físico. A expiação sempre tem função regeneradora e construtiva e visa restaurar o equilíbrio energético perdido por posturas desequilibradas do passado. As deficiências que surgirão no corpo físico feminino, pelo mecanismo expiatório, visa, em última análise, suprimir o mal, drená-lo para a periferia física. Segundo os textos evangélicos: “A cada um de acordo com as próprias obras”. Os desajustes ocorrem inicialmente nas energias psicossomáticas do chacra genésico, implantando-se nos tecidos da própria alma as sementes que germinarão no seu novo corpo físico, em encarnação vindoura, como colheita de semeadura anterior.

CONSEQÜÊNCIAS PARA O ABORTADO


A especificidade de cada caso determina situações absolutamente individuais no que se refere às repercussões sofridas pelo espírito eliminado de seu corpo em vias de estruturação. Se existe na ciência do espírito uma regra fundamental que rege a lei de causa e efeito, poderíamos enunciá-la assim: A reação da natureza sempre se fará proporcional à intencionalidade da ação. Isto é, jamais poderemos afirmar que um determinado ato levará inexoravelmente a uma exata conseqüência. Quando a responsabilidade maior da decisão coube aos encarnados, pai e ou mãe, eximindo o espírito de participação voluntária no aborto, teremos um tipo de situação a ser analisada. O espírito, quando de nível evolutivo mais expressivo, tem reações mais moderadas e tolerantes. Muitas vezes seria ele alguém destinado a aproximar o casal, restabelecer a união ou, mesmo no futuro, servir de amparo social ou efetivo aos membros da família. Lamentará a perda de oportunidade de auxílio para aqueles que ama. Não se deixará envolver pelo ódio ou ressentimento, mesmo que o ato do aborto o tenha feito sofrer física e psiquicamente. Em muitos casos, manterá, mesmo desencarnado, tanto quanto possível, o seu trabalho de indução mental positiva sobre a mãe ou os cônjuges. Nas situações em que o espírito se encontrava em degraus mais baixos da escada evolutiva, as reações se farão de forma mais descontrolada e, sobretudo, mais agressiva. Espíritos destinados ao reencontro com aqueles a quem no passado foram ligados por liames desarmônicos, ao se sentirem rejeitados, devolvem na idêntica moeda o amargo fel do ressentimento.
Ao invés de se sentirem recebidos com amor, sofrem o choque emocional da indiferença ou a dor da repulsa. Ainda infantis na cronologia do desenvolvimento espiritual, passam a revidar com a perseguição aos cônjuges ou outros envolvidos na consecução do ato abortivo.
Em determinadas circunstâncias, permanecem ligados ao chacra genésico materno, induzindo consciente ou inconscientemente a profundos distúrbios ginecológicos aquela que fora destinada a ser sua mãe.
Outros, pela vampirização energética, tornam-se verdadeiros endoparasitas do organismo perispiritual, aderindo ao chacra esplênico, sugando o fluido vital materno. As emanações maternas e paternas de remorso, de culpa ou outras que determinam o estado psicológico depressivo, abrem caminho no chacra coronário dos pais para a imantação magnética da obsessão de natureza intelectual. A terapêutica espiritual, além da médica, reconduzirá todos os envolvidos ao equilíbrio, embora freqüentemente venha a ser longa e trabalhosa. Há também espíritos que, pela recusa sistematicamente determinada em reencarnar, para fugir de determinadas situações, romperam os liames que os unia ao embrião. Estes terão seus débitos cármicos agravados e muitas vezes encontrarão posteriores dificuldades em reencarnar, sendo atraídos a gestações inviáveis e a pais necessitados de vivenciar a valorização da vida. No entanto, o grande remédio do tempo sempre proporcionará o amadurecimento e a revisão de posturas que serão gradativamente mais harmoniosas e, sobretudo, mais construtivas.
Todos terão oportunidade de amar.
(Extraído da Revista Cristã de Espiritismo)

sábado, 11 de maio de 2013

A música New Age



“A música New Age, também conhecida como música da Nova Era, é um gênero musical que se caracteriza por uma melodia suave, sons instrumentais (harpa, teclado, flauta, violão, órgão) e vozes etéreas. Este gênero musical também utiliza sons da natureza em suas músicas. É muito usada para meditação por seguidores de várias crenças espiritualistas. Este gênero musical busca despertar sentimentos de harmonia, paz interior e valorização da natureza (animais, plantas, recursos minerais). O estilo musical New Age surgiu na década de 1960, no contexto do desenvolvimento da cultura hippie (liberdade, respeito, paz e amor). Uma das principais vertentes da New Age é a Space Music conhecida pelas obras de temas espaciais criadas na década de 1970 e 1980 por artistas como Vangelis, Constance Demby, Deuter, Merlin's Magic e Steven Halpern.Os temas espaciais são produzidos através de texturas eletrônicas e sons sintetizados.”

A música instrumental


O gênio da música instrumental Hermeto Pascoal

O Rock Progressivo


“É um estilo musical que surgiu na Inglaterra, na segunda metade dos anos 60, buscando uma fusão da música pop e do rock com outros gêneros de harmonia mais complexa. "As composições misturavam música clássica, jazz e até folclore celta, explorando ao máximo a revolução tecnológica que ocorria nos estúdios de gravação e teclados eletrônicos como o sintetizador", afirma o jornalista Leonardo Nahoum, autor do livro Enciclopédia do Rock Progressivo. Na sua essência, o som progressivo extrapolava o formato canção em músicas com longuíssimos trechos instrumentais, muitas vez compondo os chamados "álbuns conceituais", discos que contavam uma história ou possuíam alguma ligação temática entre suas faixas. Tudo isso já estava presente no rock psicodélico de Sgt. Pepper’s (1967), obra-prima dos Beatles com suas ousadas experiências com orquestras sinfônicas, toques indianos e influências de compositores da vanguarda eletrônica como Stockhausen. Outro precursor importante foi o grupo Moody Blues, cujo álbum Days of Future Passed (1967) também usava orquestra sinfônica para uma versão rock da Sinfonia do Novo Mundo, do erudito Dvorák. Vale lembrar também a ópera-rock Tommy (1969), do grupo The Who, outro marco dos "álbuns conceituais". Tudo isso contribuiu para a proliferação de bandas progressivas na primeira metade dos anos 70, o auge do gênero, representado por seus expoentes mais populares: Pink Floyd, Yes, Genesis e o trio Emerson, Lake & Palmer (EL&P).”

A banda britânica YES


Rick Wakeman

Jazz, a Música das Músicas


“O Jazz se desenvolveu com a mistura de várias tradições musicais, em particular a afro-americana. Desde o começo do seu desenvolvimento, no início do século XX, o Jazz produziu uma grande variedade de subgêneros, como o Dixieland da década de 1910, o Swing das Big bands das décadas 1930 e 1940, o Bebop de meados da década de 1940, o Jazz latino das décadas de 1950 e 1960, e o Fusion das décadas de 1970 e 1980. Devido à sua divulgação mundial, o Jazz se adaptou a muitos estilos musicais locais, obtendo assim uma grande variedade melódica, harmônica e rítmica.”


Miles Davis foi um dos músicos mais geniais da história do Jazz.

FOBIA SOCIAL ou TRANSTORNO DE ANSIEDADE SOCIAL


Na fobia social a pessoa se sente ansiosa em "situações sociais". A pessoa fica insegura e o grau de ansiedade pode ser muito intenso, podendo chegar a uma crise aguda de ansiedade.
 As situações sociais temidas podem ser variadas, como entrar em lugares cheios de pessoas, escrever na frente dos outros, falar em público, comer em locais públicos,  viajar de ônibus, metrô ou outro meio de transporte pũblico, ir a um evento social, fazer uma entrevista de emprego, encontrar um conhecido etc.
 O Transtorno de Ansiedade Social pode ser classificado em dois subtipos. Um subtipo  denominado generalizado, na qual a pessoa teme quase todas as situações sociais: conversar, sair em lugares públicos, falar, comer, escrever em público, etc
E um subtipo denominado não generalizado, ou restrito, no qual a pessoa teme uma ou poucas situações sociais específicas.
 Durante a situação social a ansiedade tende a persistir levando a pessoa a enfrentar níveis altos de sofrimento. Quando sai da situação, a ansiedade tende a diminuir significativamente, o que reforça tendências de fuga e evitação de novas situações. 
 A própria expectativa de ter que enfrentar situações sociais já pode ativar ansiedade, levando a pessoa a evitar estas situações temidas. Este comportamento de evitação pode ir limitando significativamente a vida da pessoa.
 A fobia social se diferencia da timidez comum: 
(1) pelo grau de intensidade da ansiedade gerada antes e durante a situação social, e 
(2) pelo grau de prejuízos que traz à vida da pessoa, com comprometimentos que alcançam a esfera profissional, escolar e social. 
 Por esta razão é também chamada de "timidez patológica".
 Pelo caráter pouco conhecido deste transtorno, muitas pessoas só procuram ajuda quando seu quadro está associado a outros problemas. A fobia social tende a abalar a auto-estima da pessoa e pode contribuir para o desenvolvimento de depressão, abuso de álcool e drogas e outros quadros ansiosos.
 A Fobia Social é reconhecida pela Organização Mundial da Saúde como um transtorno psicológico. As pesquisas indicam que entre 4 e 12% de pessoas vão apresentar transtorno de ansiedade social em algum momento de suas vidas.
 Numa situação social temida a pessoa com fobia social apresenta dois tipos de sintomas: de ansiedade e situacionais.
 Os sintomas de ansiedade podem incluir palpitações, falta de ar, tontura, sensação de desmaio, enrubescimento, suor, embaçamento da visão etc.
 Os sintomas situacionais podem variar como por exemplo, tremer e não conseguir escrever, gaguejar, travar a garganta e não conseguir engolir, sentir vontade de ir ao banheiro, dar um branco e não lembrar de algo importante, etc. Estas reações produzem forte insegurança, levando a pessoa a duvidar de sua capacidade de conseguir desempenhar a função social envolvida na situação.
 É comum que a pessoa comece a temer antecipadamente sentir-se mal nas situações, o que dispara uma ansiedade antecipatória forte. Há um medo de se sentir embaraçado, inadequado e não se sair bem na situação. A dúvida e a incerteza produzem insegurança e ansiedade. Uma das consequências é a pessoa começar a evitar situações em que ela imagina que poderá passar mal, o que vai restringindo sua vida.



NORMALIDADE E PARANORMALIDADE

“Normalidade é perceber o mundo através dos cinco sentidos, que são: audição, olfato, paladar, tato e visão. Tudo o que escapa a esses sentidos, a parapsicologia convencionou chamar de paranormalidade. A paranormalidade foi muito utilizada pelo Dr. Joseph Banks Rhine, da Universidade de Duke, nos Estados Unidos que, através da pesquisa quantitativa, modernizou a Metapsíquica e transformou-a na Parapsicologia. A palavra Parapsicologia pode ser desmembrada de acordo com a origem grega: pará (proximidade, paralelo, elemento acessório), psyché (alma, espírito) e logos (tratado, ciência). Paranormal é o fenômeno que ocorre paralelamente ao normal.”